nosso trabalho serviços

Contrate um Aprendiz

Quer contratar
jovens aprendizes
para a sua
empresa?
Conte com nosso
programa.

O Ramacrisna é autorizado a capacitar e encaminhar jovens em sua primeira oportunidade no mercado de trabalho. Nosso projeto estimula o desenvolvimento de valores éticos e profissionais de adolescentes em situação de risco social e pessoal, promovendo a inclusão e o primeiro contato desses jovens, de 14 a 18 anos, com o mercado de trabalho.

O projeto atua nas áreas de: auxiliar administrativo, assistente de logística, auxiliar de serviços bancários, auxiliar de audiovisual, aprendiz no desporto, auxiliar de comércio e serviços e aprendiz na música.

Centenas de aprendizes treinados pelo nosso instituto estão inseridos em dezenas de empresas de cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Outras centenas foram efetivados ou contratados por companhias do mercado. 

Empresas como a Fiat, Comau, Teksid, o Banco do Brasil e a Unimed já aderiram ao nosso programa.

A sua empresa também pode se tornar parceira do Adolescente Aprendiz Ramacrisna, se adequando à Lei da Aprendizagem, recebendo incentivos fiscais e tributários e além de ajudar a transformar a vida de um adolescente.


Impacto para as Empresas

Impacto para as Empresas

+100


empresas participantes no programa

Impacto para as Empresas

20%


dos jovens aprendizes são contratados

Impacto para as Empresas

R$834


de economia com recrutamento e treinamento

Impacto para as Empresas

80%


de satisfação das empresas com os adolescentes


Impacto para os Jovens

Impacto para as Empresas

461


é a média de novos adolescentes no programa

Impacto para as Empresas

R$2.300


é a renda média dos jovens empregados

Impacto para as Empresas

78%


concluíram o ensino médio

Impacto para as Empresas

8,9


em 10 é a nota dada pelos jovens para o programa


Tire suas dúvidas

Nº 10.097/2000, ampliada pelo Decreto Federal nº 5.598/2005. Determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários cujas funções demandem formação profissional.

No âmbito da Lei da Aprendizagem, aprendiz é o jovem que estuda e trabalha, recebendo, ao mesmo tempo, formação na profissão para a qual está se capacitando. Deve cursar a escola regular (se ainda não concluiu o Ensino Médio) e estar matriculado e frequentando instituição de ensino técnico profissional conveniada com a empresa.

  • Apenas 2% de FGTS (alíquota 75% inferior à contribuição normal);
  • Empresas registradas no “Simples”, que optarem por participar do programa de aprendizagem, não tem acréscimo na contribuição previdenciária;
  • Dispensa de Aviso Prévio remunerado;
  • Isenção de multa rescisória.

Jovens de 14 a 24 anos incompletos que estejam cursando o ensino fundamental ou o ensino médio. A idade máxima prevista não se aplica a aprendizes com deficiência. A comprovação da escolaridade de aprendiz com deficiência mental deve considerar, sobretudo, as habilidades e competências relacionadas com a profissionalização.

Segundo a Lei da Aprendizagem, a jornada de trabalho não deve ser superior a seis horas diárias, admitindo-se a de oito horas para os aprendizes que já tiverem completado o Ensino Médio, se nessa jornada forem computadas as horas destinadas à aprendizagem teórica.

O contrato de aprendizagem é um contrato de trabalho especial, com duração máxima de dois anos, anotação na Carteira de Trabalho e Previdência Social, salário mínimo/hora e todos os direitos trabalhistas e previdenciários garantidos.

O aprendiz contratado tem direito a 13º salário e a todos os benefícios concedidos aos demais empregados. Suas férias devem coincidir com o período de férias escolares, sendo vedado o parcelamento.

As empresas estão sujeitas ao recolhimento de alíquota de 2% sobre os valores de remuneração de cada jovem, inclusive sobre gratificações, para crédito na conta vinculada ao FGTS. O recolhimento da contribuição ao INSS é obrigatório, sendo o aprendiz segurado-empregado.

* Para outras informações, consulte o Manual da Aprendizagem do MTE, documento que reúne toda legislação que regulamenta a Lei da Aprendizagem.


Parceiros

Receba nossas notícias