Notícias

Notícias

Como incentivar a participação de mulheres na tecnologia

Quando pensamos na área da tecnologia, é comum imaginarmos um ambiente majoritariamente masculino, mas isso é coisa do passado. Mas a participação de mulheres na tecnologia não faz parte nem do passado: quando buscamos na história, encontramos referências como Ada Lovelace, primeira programadora da história, e Mary Kenneth Keller, primeira mulher a receber um diploma de pós-graduação em computação, mas ainda existe pouco incentivo à inserção de mulheres na tecnologia.

Mas isso está mudando: nos últimos anos o interesse das mulheres pela área de TI tem aumentado. De acordo com dados do instituto de pesquisa da Microsoft, apenas 25% das pessoas empregadas em empresas de TI são mulheres. Em contrapartida, elas são as que têm grau de instrução mais elevado. 

Desafios e oportunidades

Romper essa barreira cultural é um dos desafios para as mulheres, que também enfrentam dificuldades de inserção no mercado de trabalho. Uma pesquisa realizada pelo site Catho, em parceria com a UP WITH, mostrou que 34% das mulheres que atuam no setor de TI ganham menos do que os homens

Por outro lado, a crescente demanda por profissionais capacitados no mercado de TI começou a abrir portas para as especialistas mulheres. E, o melhor de tudo, essa inserção tem dado resultados! Um relatório feito em 2018 pelo Delivering Through Diversity, comprovou que empresas com equipes mais diversas e com mulheres líderes aumentam sua lucratividade, retém pessoal e tomam melhores decisões.

Ramacrisna e mulheres na tecnologia

O Instituto Ramacrisna acredita na educação como meio de transformação na vida dos jovens. Com cursos em diversas áreas, o campo da tecnologia está presente na grade de ensino. E a presença feminina tem aumentado, como no caso do curso de Robótica Educacional, em que Raíssa Cardoso está matriculada. A estudante conta que ter outras colegas meninas no curso deu mais segurança e a certeza de que ela pode ocupar esse espaço.

“Eu me senti acolhida porque as integrantes do curso eram a maioria meninas, então eu me senti realmente em casa. É muito difícil ter esse sentimento nesses lugares, onde a maioria é de meninos. Vai ser o conhecimento, o aprendizado e a socialização que eu tive aqui que eu vou levar para a vida toda”.

Confira o depoimento de Raíssa e outras alunas do curso de Robótica:

Segundo a vice-presidente do Instituto Ramacrisna, Solange Bottaro, “o número de alunas interessadas nos cursos de tecnologia  demonstra confiança e competência das jovens em se qualificar e estar inseridas no mercado, contribuindo para desmistificar o argumento de que elas não conseguem  um lugar de destaque no setor, pelo contrário, pois são mais observadoras e eficientes nessa função”.

Além do curso de Robótica Educacional, o Instituto Ramacrisna conta com cursos de Robótica Industrial, Operador de Computador e Redes Locais, Informática Básica e o Bootcamp de Programador de Software Iniciante, realizado pela IGTI. 

Veja os cursos gratuitos de tecnologia que o Ramacrisna oferece 

Com o objetivo de apresentar conceitos da lógica de programação, o bootcamp é uma parceria entre o Instituto Ramacrisna e o IGTI, e surgiu para introduzir os alunos no caminho da programação. Aprendendo a desenvolver aplicações simples com Java, Python e JavaScript.

Se você também acredita que a inclusão das mulheres no mercado da tecnologia é o futuro e quer nos ajudar a continuar proporcionando esses cursos no Instituto Ramacrisna, nos procure e veja como colaborar!

compartilhar:

Receba nossas notícias