Notícias

1 de junho de 2022

Apoio pedagógico|Cases|Educação / Profissionalização|Jovem Aprendiz

Por Dentro do Ramacrisna: conheça a história de Gabriela Luíse Loregian de Souza

Aos 14 anos, Gabriela faz parte da primeira turma a concluir o curso Meninas em Rede, do Ramacrisna. Ela também integra o projeto Jovens de Futuro e espera sua primeira experiência profissional.

Gabriela Loregian, de 14 anos, é uma das 18 meninas que concluíram a primeira turma do Meninas em Rede, projeto do Instituto Ramacrisna. Ela conta, com orgulho, que aprendeu sobre tecnologia e programação e que, com o curso, descobriu ter várias habilidades na área.

Agora, ela faz parte do projeto Jovens de Futuro e se prepara para se tornar uma adolescente aprendiz. Vai ser o primeiro passo para uma carreira profissional. Conheça parte dessa história.

Paixão de mãe para filha

Gabriela conta que, desde criança, ouve falar no Instituto. Mas foi depois que a mãe começou um emprego no Ramacrisna que ela foi, de fato, conhecer o local. “Minha mãe sempre me falava de como o lugar era maravilhoso. Ela me falou da biblioteca e, como eu sou apaixonada por livros e leitura, fui um dia conhecer e logo me apaixonei pelo Instituto”, lembra. 

Em seguida, Gabriela ingressou no Centro de Apoio Educacional Ramacrisna (CAER). Lá, ela participava de várias oficinas, entre elas, a de xadrez – sua favorita. Era também uma oportunidade para a adolescente frequentar a biblioteca. 

Em seguida, o projeto Meninas em Rede começou. “Foi o meu ápice no Instituto”, resume. O curso começou a ser realizado no prédio do CAER e, depois, foi transferido para a FabLab, espaço dedicado à tecnologia do Ramacrisna. “Foi gratificante ver o projeto crescendo e a FabLab se construindo, o projeto é lindo”, afirma.

O projeto Meninas em Rede visa a inclusão de meninas em situação de vulnerabilidade social por meio do uso da inovação e a criatividade ao realizar oficinas de Tecnologia, Programação e Robótica. Lançado pelo Instituto Ramacrisna, o programa recebeu recursos do Criança Esperança. Além de atividades de Tecnologia, também são realizadas ações esportivas e culturais como dança, xadrez, judô, entre outros esportes. 

Gabriela conta que o Meninas em Rede não foi o primeiro projeto na área de tecnologia que ela participou, mas que o Ramacrisna possui melhor didática. “Eu fiz um curso de robótica lego EV3 e um de programação que eram bons, mas não igual é hoje, onde consigo com facilidade programar e fazer aplicativos”, compara.

Ela avalia que o Meninas em Rede tem um papel essencial no seu futuro: “Aprendi demais na oficina sobre aplicativos, softwares e redes de computadores.  Esse conhecimento será fundamental para a conquista do meu sonho, que é morar no exterior. A área de tecnologia é muito promissora”, avalia.

Ramacrisna: crescimento pessoal e novas possibilidades

Além do conhecimento, Gabriela avalia que participar do Meninas em Rede trouxe crescimento pessoal e social. “Participar do Meninas em Rede foi minha salvação. O início do ano foi o recomeço da inclusão pós pandemia e interagir com as meninas foi essencial, além de que aprendi muito sobre tecnologia, foi um salto de uma descoberta que tive, onde eu realmente tive a certeza que era boa nisso. O curso foi mais que um currículo para mim, foi uma descoberta”, analisa.

Agora, Gabriela faz parte do Jovens de Futuro, curso preparatório para o projeto Adolescente Aprendiz. Com carga horária de 80 horas, os alunos aprendem conceitos importantes e necessários para começar a caminhada rumo ao mercado de trabalho. São temas como: falar em público, orientações para entrevista de emprego, ética, atendimento ao cliente e relacionamento interpessoal.

De acordo com a demanda da empresa, análise de perfil e desempenho do adolescente durante o curso, os Jovens de Futuro são indicados às empresas para concorrerem às vagas de emprego como aprendizes. É o início de uma trajetória profissional. “O Ramacrisna vai ser o meu primeiro contato com o mundo do trabalho, agora que estou participando do Jovens do Futuro, o aprendizado que tive aqui vai me ajudar pelo resto da minha vida”, acredita.

Ajude adolescentes como Gabriela a sonhar. Faça sua doação e mantenha nossos projetos.

compartilhar:

Receba nossas notícias