Notícias

3 de outubro de 2023

Cases|Esportes|Notícias|ONG's|Por Dentro do Ramacrisna

Por dentro do Ramacrisna: conheça a história de Jaiverson Junio

Apaixonado por esportes, Jaiverson fez da brincadeira predileta sua profissão e hoje ajuda crianças do Ramacrisna a transformar suas vidas pela prática esportiva

 

Como toda criança, o pequeno Jaiverson Junio adorava praticar esportes. E o local para as brincadeiras era as instalações do Ramacrisna, que ficam abertas para a comunidade. O tempo passou, mas a paixão continua.

Por isso, ele teve a oportunidade de entrar na faculdade e cursar Educação Física. Hoje, Jaiverson tem a possibilidade de ensinar novas crianças a encontrar no esporte uma forma de lazer e até um talento escondido. Tudo isso dentro do Ramacrisna. Conheça a história a seguir.

Nos campos do Ramacrisna

Jaiverson é o mais novo instrutor do Instituto. Ele faz parte das oficinas de esportes do Ramacrisna. Muito ativo, o professor pratica diversas modalidades, como futsal, beach tênis, futevôlei, futebol e vôlei. Mas essa história começa há muitos anos. 

O menino cresceu no bairro Santo Afonso, em Betim, nas proximidades do Ramacrisna. O pequeno Jaiverson era uma das crianças que aproveitavam o tempo livre para brincar nos  espaços do Instituto, permitindo que descobrisse os esportes. “Podemos dizer que o Ramacrisna teve uma influência muito grande nessa formação esportiva. Na minha infância, eu usava os espaços do Instituto para praticar esportes, por serem abertos. Isso me ajudou muito”, relembra. 

Na época, o Ramacrisna tinha uma quadra de vôlei de areia dentro de sua sede, e Jaiverson era figura carimbada no espaço. Mas a relação formal com o Instituto começou anos depois, quando ele tinha 12 anos. 

Suas duas irmãs já participavam de projetos no Instituto, quando se matriculou nas atividades. Jaiverson participou de diversos cursos, como o de informática básica e o de mecânica. Depois, participou do Jovens de Futuro e se capacitou como auxiliar administrativo. 

A primeira experiência de Jaiverson também aconteceu graças ao Ramacrisna, por meio do curso Adolescente Aprendiz. Ele fez parte da empresa parceira Betim Parafusos e, ao fim do contrato de aprendizagem, foi efetivado como funcionário. “Fiquei na empresa por um período de 10 anos. Além disso, consegui muitos conhecimentos com os professores da época, que me davam conselhos e dicas. Foi ali que começou a minha vida profissional”, destaca. 

Mas talvez sua vivência mais importante no Ramacrisna tenha a ver justamente com os esportes. “O Instituto teve um impacto muito positivo na minha vida. Por causa do Ramacrisna, pude disputar campeonatos de futsal e aprender outras modalidades esportivas”, conta. 

Agora, é educador físico e tem a oportunidade de passar essa paixão adiante. “A experiência está sendo ótima. Poder voltar ao lugar de onde eu vivi anos da minha vida como aluno, voltando hoje como professor é muito gratificante pra mim”, classifica.    

“Espero poder dar continuidade no trabalho que o Instituto oferece. Da mesma forma que me ajudou a ser uma pessoa melhor, espero ajudar outras pessoas, passando um pouco da minha experiência e conhecimento. O Ramacrisna é importante e será sempre importante para as crianças e adolescentes”, pontua.

Apesar de ter algumas modalidades esportivas, Jaiverson pretende ensinar todas com o mesmo carinho e atenção. “Apesar de ter levado mais para o lado futebol a minha vida – eu falo até mesmo em disputar campeonatos –, eu quero ensinar todos os esportes que eu sei de forma ampla, não quero ficar em apenas uma modalidade”, ressalta. 

A nova experiência pode ser um desafio, mas ele encara a oportunidade de frente e vê como uma forma de retribuir ao Instituto todo trabalho feito com ele. “Não vou medir esforços para retribuir o que o Ramacrisna foi na minha vida , para que o Instituto faça a diferença na vida de outros jovens assim como fez na minha. Serei sempre grato ao Ramacrisna pela base que me proporcionou”, conclui.

Ajude o Instituto a manter seu trabalho

Assim como Jaiverson, você pode ajudar centenas de crianças e jovens a ter um futuro melhor. São diversos projetos focados na população em vulnerabilidade de 11 municípios na região metropolitana de Belo Horizonte.

Existem várias formas de fazer sua doação. Atualmente, pessoas físicas e jurídicas podem contribuir on-line, via pix, paypal, ou por boleto bancário. Para isso, basta clicar aqui, escolher a forma de doação e contribuir com qualquer valor.

Outra forma é pelo Imposto de Renda, contribuindo via Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA). Ou seja, uma porcentagem do valor que iria para o Governo, você pode destinar para uma Instituição Social. Você não paga nada a mais por isso.

compartilhar:

Receba nossas notícias